O Sotaque ainda é ouvido

A Comunidade Italiana está quieta esqueceram “Nessun Dorma” (sem dormir), e não se ouve mais os corais, os patronos adoeceram e alguns já partiram mas nós todos que estamos aqui, seus representantes, podíamos solicitar aos nossos vereadores para comemorarmos e homenagear a Colônia Italiana, cumprindo o que diz a lei que trata de uma sessão […]

Read More »

Os Olhos do meu Avô

Os olhos do meu avô materno eram verdes e meio azulados também. Lembravam a cor da água do mar tropical. Eram olhos calmos e sempre atentos. Refletiam aquela alma e aquele jeito dele ser. Ele era leve e engraçado, muito embora, na maior parte das vezes eu não enxergasse isso claramente com meus olhos imaturos. […]

Read More »

44 anos depois – Parte II

Eu já tinha 2 filhos e fazia Pedagogia. No ano seguinte, entraria para a Faculdade de Medicina. Incessante produção literária. Declamava suas poesias para públicos os mais variados, que o ouviam atentos e encantados por todo o mundo. Declarava que a poesia não precisa de temas sublimes e que o poeta pode escrever tanto para […]

Read More »

Edo Peixoto

A Sua descendência alemã Dihel que caracterizou a retidão, a ética e a portuguesa Peixoto, o altruísmo, o espírito desbravador, o carinho e a amizade marcaram sua trajetória em terras paranaenses. Ao unir-se com a família italiana Pagnoncelli de sua esposa, foi o momento que se integrou totalmente em Cascavel. Inicialmente num Hospital de Madeira […]

Read More »

44 anos depois – Parte I

Nasci. 12 de julho também. Ele já havia escalado altos postos. Seu país dele se orgulhava e com ele se identificava. Usava, de inicio, simplesmente suas emoções e sua capa preta de poeta, que o ajudava a suportar o frio intenso de sua região, ora mar, ora cordilheira do sul da América. Beleza inóspita, fauna […]

Read More »

Anestesia

– Sente aqui? –Não. – E aqui, sente alguma coisa? – Nada, não sinto nada. Campos cirúrgicos colocados. – Podem começar! Corte. Sangue. Um pouco do cautério. Bzzzz!!! Olho para a paciente e nenhuma reação. Já fiz isso centenas, milhares de vezes nesses 10 anos trabalhando como anestesiologista, no entanto, pareceu a primeira. Fiquei surpreso […]

Read More »

Como o destino atrapalha uma vingança…

Sábado, setembro de 1958. O enfermeiro Vicente atravessou toda rua da feira, levando numa cuba um enorme baço. Manezinho, filho de Atanázio, porteiro do hospital, diácono da igreja evangélica, homem sério, temente a Deus e de grande credibilidade na cidade de Palmares, interior de Pernambuco, sofria da chamada barriga d’água A cirurgia para retirada do […]

Read More »

A solidão vai bater!

Depois de quatro dias cuidando da parturiente, uma índia yanomami já passada dos quarenta anos, e a preferida do total de cinco esposas do cacique, no interior de Roraima, nasce um menino de olhos assustados, como se estivesse me interrogando: onde estou, quem é você? Dou-lhe as boas vindas, lhe desejo boa sorte, antes de […]

Read More »

Um resto de liberdade

Mexendo numa gaveta encontrei uma caixa e dentro dela havia um resto de liberdade. Era tão pouco que quase não se notava, mas estava lá. Embaixo de uns papéis velhos, umas canetas gastas e outras quinquilharias que a gente esquece nas gavetas. Ela estava um pouco empoeirada e dava para ver que não era uma […]

Read More »

O Sétimo Mandamento

Deus escolheu Moisés para receber os Dez Mandamentos e orientar o povo Judeu que precisava de uma nova ordem para a boa vizinhança. O sétimo mandamento diz “Não Roubarás”. Muitos anos depois, Jesus Cristo foi crucificado entre dois ladrões: Dimas o bom ladrão e Gestas o mau ladrão. Alguns relatos contam que o bom ladrão, […]

Read More »